Manual de Instruções Pós-Operatórias para Cirurgia Ortognática

Estas instruções pós-operatórias devem ser usados como um guia para auxiliar a tornar a sua recuperação mais confortável e segura. Você acabou de ter uma grande cirurgia realizada e nem todos os pacientes respondem da mesma maneira. Se você possui dúvidas a partir dessas instruções, por favor, ligue para o consultório para esclarece-las.

Visitas no pós-operatório: após a alta do hospital, uma visita pós-operatória deve ser programada geralmente dentro de quatro dias.

Dieta: Imediatamente após a cirurgia você vai receber uma dieta líquida. Isto pode ser avançada para uma dieta pastosa (pudins, maçã, aveia, ou qualquer alimento que seja liquidificado) normalmente pelo segundo dia pós-operatório. O avanço de sua dieta será discutida especialmente durante as suas visitas ao consultório no pós-operatório. A compreensão dessas orientações é extremamente importante para manter uma dieta saudável. Um alto teor calórico, uma dieta rica em proteínas é recomendada, com refeições frequentes e lanches. Suplementos nutricionais são um excelente complemento para sua dieta. Muitos suplementos líquidos nutricionais tais como Ensure, Sustacal e Boost, estão disponíveis nas farmácias ou em casas de suplementos dietéticos, e devido a sua alta densidade calórica e a balançeada presença de proteínas, calorias e vitaminas, alcançam o objetivo de minimizar a perder de peso. Esses suplementos podem ser adicionalmente aumentados com batidas e vitaminas contendo frutas, proteínas em pó e outros aditivos. Pode ser uma boa ajuda fazer um registro diário da dieta da quantidade de fluidos e das calorias ingeridas a fim de assegurar que os objetivos nutricionais estão sendo alcançados. Seguindo essa breve dependência de líquidos, uma dieta semi-sólida e não-mastigável deverá ser iniciada. Essa dieta deve ter uma consistência que pode ser consumida sem a necessidade de ser mordida ou mastigada. Uma grande variedade da sua alimentação diária normal pode ser consumida: ovos mexidos, panquecas, macarrão bem cozido, purê de batata, peixe como o atum em lata, etc. Lembre-se, é muito importante evitar o estresse sobre os sítios cirúrgicos até que eles estejam totalmente cicatrizados e consolidados. Essa dieta deverá ser mantida durante 2 meses, quando uma dieta sólida normal será liberada.

Vale salienta que uma consulta previamente ao procedimento com um(a) nutricionista é extremamente importante para que seja estabelecido um plano alimentar para essa situação.

Atividades: Imediatamente após a cirurgia você vai se sentir letárgico. Isso é normal e acontecesse após qualquer anestesia geral e cirurgia de grande porte. Se você já teve alta observará que demora cerca de uma a duas semanas para sentir a sua energia retornar ao normal. Sua atividade para a primeira semana deve ser limitado a atividade normal e não extenuante. Se você está utilizando analgésicos narcóticos para o controle do desconforto você não deve dirigir carro ou trabalhar com qualquer equipamento perigoso. A melhor regra é ouvir o seu corpo: quando você se sente bem execute atividades leves como caminhar pequenos trajetos, e quando você se sentir cansado, descanse.

Atividades físicas como corridas, futebol, academia, principalmente o fortalecimento muscular com peso, somente poderão ser iniciados 90 dias após o procedimento. A medida que a sua recuperação vai sendo acompanhando esse período de afastamento poderá ser reavaliado.

Medicações: Após a alta hospitalar normalmente você irá utilizar um antibiótico, um antiinflamatório e um remédio para dor. Por favor, use conforme as instruções. Se você tem dúvidas sobre os medicamentos ou apresentar uma reação ligue imediatamente para o consultório.

Higiene bucal: É importante manter uma excelente higiene bucal. Você poderá começar a escovar os dentes. Use uma escova de dentes macia e pediátrica. Nos primeiros dias provavelmente não será capaz de abrir o suficiente para escovar todas as faces dos dentes. E não esqueça de realizar o bochecho com o colutório prescrito, 2 x ao dia, até que seja solicitado a suspensão do mesmo. Maiores informações serão discutidas nas suas consultas de retorno. O que pode ser adicionado aqui é que inicialmente a escovação será um pouco difícil, em alguns momentos poderá gerar um desconforto e até mesmo um leve sangramento. Esses fatores não deverão influenciar para que você fiquei com medo ou desista.

Lábios: os lábios e pele circundante podem começar a descascar. Evite remover a pele morta, uma vez que podem ser ligados a tecidos mais profundos. Mantenha seus lábios úmidos com protetores labiais como a manteiga de cacau, por exemplo.

Elásticos: Você poderá possuir elásticos ligados ao seu aparelho. Estes são
importante para ajudar a treinar o movimento de sua mandíbula. Não force, não tente abrir a boca, fale o mínimo possível quanto estiver com os elásticos, provavelmente irá sentir a mordida “apertada” e um leve desconforto na região próxima ao ouvido, que em pouco tempo desaparecerá. Se os seus elásticos estourarem de um lado, remova-os, também, do lado oposto para evitar puxar desigual e entre em contato com o consultório. Normalmente, você pode esperar até o horário do expediente para que elas sejam substituídas. Após a primeira semana você será ensinado(a) como colocar os elásticos, podendo começar a remove-los o na hora das refeições e reinstala-los novamente.

Inchaço e Hematomas: Cada paciente vai experimentar algum grau de inchaço. Gelo colocado nas bochechas irá ajudar a manter o inchaço baixo. O gelo é usado durante as primeiras 48 horas e, em seguida, calor úmido pode ser utilizado. Às vezes, mesmo depois de 48 horas, as almofadas de gelo provocarão uma sensação de conforto e você pode alternar compressas quentes e frias. Os hematomas iniciarão geralmente após 48 a 72 horas e desaparecem após aproximadamente 15 dias. As compressão quentes e úmidas auxiliarão na regressão mais rápida dessas manchas que, iniciam na face e que irão descendo em direção ao pescoço. A drenagem linfática é uma excelente opção para acelerar a regressão desse processo e poderá iniciar, brevemente, após o procedimento.

Dormência: Todos os pacientes irão sentir dormência no lábio (parestesia). Isto se resolve de maneira diferente para cada pessoa. Às vezes, pode levar meses para que a sensibilidade em seus lábios começam a retornar aos níves de normalidade. Lembre-se, cada pessoa responde de forma diferente à cirurgia e pode ter especial circunstâncias que podem exigir desvio de nossas diretrizes. Siga todos os cuidados e recomendações e tenha uma excelente recuperação.

Correções das Deformidades Dentofacias Através da Cirurgia Ortognática

As deformidades dentofaciais, definidas como alterações no desenvolvimento dos ossos da face comprometendo a harmonia facial, afetam aproximadamente 20% da população, com vários graus de comprometimento estético e funcional. O mau engrenamento dentário, causado pelo crescimento excessivo, ou pela deficiência de desenvolvimento ósseo dos maxilares está inserido nesta percentagem. Infelizmente, ainda, uma gama enorme de pessoas que agregam esse grupo, não possuem informações a respeito da necessidade do tratamento corretivo multidisciplinar. A Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial como especialidade, possui um tratamento cirúrgico para esses pacientes, que é denominado Cirurgia Ortognática (Figura. 01 e Figura. 02).

A cirurgia ortognática é a arte e ciência do diagnóstico, planejamento e execução do tratamento combinando a Ortodontia e a Cirurgia Bucomaxilofacial para correção das deformidades dento-ósseas, músculo-esqueléticas dos maxilares e estruturas associadas como a articulação temporomandibular (ATM).

Essas alterações que levam os indivíduos a se tornarem pacientes cirúrgico podem possuir origem hereditária, malformação congênita (lábio leporino), síndromes por distúrbios genéticos, traumas faciais , seqüelas desses, hábitos bucais (mordiscar canetas, interpor a língua entre os dentes, etc), respiração incorreta, sucção e postura incorreta.

As ilustrações abaixo demonstram as comparações entre a oclusão normal (engrenamento dentário) (Figura B) e as formas discrepantes, que necessitam de reposicionamento cirúrgico (Figura A e C) . Algumas formas mais brandas podem ser tratadas apenas com a terapia ortodôntica, pois 60% da população apresenta algum distúrbio de oclusão e apenas 15% são previlegiados com uma oclusão normal.

As alterações dentofaciais contribuem essencialmente para o desequilíbrio do sistema mastigatório, prejuízo as vias aéreas, sistema respiratório e no ato da fala. Podendo evoluir para um quadro de sintomatologia dolorosa (dor de cabeça e ao abrir a boca, zumbidos no ouvido, entre outros sinais e sintomas) oriunda da musculatura e das demais estruturas que sustentam os movimentos da boca.
O cirugião bucomaxilofacial, realizará o diagnóstico juntamente com outro profissional da odontologia, que é o especialista em ortodontia. Previamente ao ato cirúrgico, é imprescindível a instalação de uma aparatologia fixa ortodôntica, realizando o tratamento ortodôntico com o intuito de fornecer as condições ideais de estabilidade para a realização do procedimento cirúrgico. É interessante ainda, ressaltar que esse tratamento requer uma equipe multidisciplinar, envolvendo profissionais de outras àreas, como por exemplo fisioterapeutas e fonoaudiólogos.
Devolver as funções mastigatórias, respiração, fala e promover a harmonia facial, são os objetivos principais dessa intervenção, que é realizada em ambiente hospitalar, requerendo do paciente um período de afastamento de suas atividades normais.

Para eventuais dúvidas procure um especialista na área ou o seu Cirurgião Dentista de confiança para orientá-lo.

Apnéia Obstrutiva do Sono: Cirurgia Ortognática uma opção de tratamento.

A apnéia obstrutiva do sono é uma desordem, comum, que vem recebendo a atenção da comunidade médica pelo sério potencial de conseqüências a saúde do indivíduo. Os significados da alteração do quadro de saúde normal, dessa síndrome, resultam na diminuição da quantidade de oxigênio, que será distribuída ao organismo, bem como a interrupção do sono.

Esses problemas são provocados pela obstrução da passagem normal de ar pela via que o leva para os pulmões, chamada de via aérea. Essa síndrome se manifesta numa progressiva asfixia (falta de ar), que requer uma estimulação forçada da respiração contra a obstrução da via aérea, influenciando diretamente na qualidade do sono do indivíduo. No que diz respeito aos sintomas podemos incluir o ronco, a fadiga, irritabilidade, dificuldade de concentração no dia-a-dia e até mesmo períodos de sonolência durante o dia, dentre outros importantes sintomas. As consequências no quadro geral de saúde da apnéia do sono incluem o desenvolvimento de hipertensão e arritmias cardíacas, podendo esses problemas se intensificarem com o grau de intensidade desse distúrbio.

Os tratamentos para apnéia do sono incluem terapias não cirúrgicas e as cirúrgicas. Tratamentos clínicos como perda de peso, alteração da postura do sono, terapia com placa anti-ronco (uso intrabucal), terapia medicamentosa e aparelhos que provocam pressão positiva na via aérea são alternativas a serem utilizadas como terapias não cirúrgicas. Frequentemente tratamentos cirúrgicos são requeridos como uvulopalatoplastia, reconstrução nasal interna e externa, remoção das adenóides e a cirurgia ortognática também está incluída como uma forma de tratamento.
Nos Estados Unidos a Cirurgia Ortognática é claramente utilizada como um tratamento de escolha para a apnéia do sono, com excelentes resultados desde o final dos anos 80, em pacientes com a diminuição do espaço aereofaringeo (espaço esse que é destinado à passagem de ar). A Síndrome da Apnéia do Sono tem sido ligada a determinados perfis faciais, que apresentam específicas alterações de desenvolvimento dos ossos da face, provocando a alteração da posição dentária. Levando esse aspecto em consideração, avaliações pré-cirúrgicas como coleta de dados da história médica pregressa, utilização de tratamento ortodôntico prévio, planejamento cirúrgico e demais exames radiográficos necessários devem ser avaliados.

O procedimento mais comumente indicado é a realização de cirurgia ortognática bimaxilar, onde as posições esqueléticas da maxila, da mandíbula e do mento (queixo) serão alteradas, otimizando o espaço da via aérea, conforme ilustração abaixo. Em determinados casos existe a necessidade da realização de outros procedimentos cirúrgicos concomitantes para completar o tratamento dessa síndrome.

apneia do sono